Aqui a história começou com uma tempestade! E quando falamos em tempestade, queremos dizer que, na estrada, foi a mais forte que já encaramos! Pelo para-brisa víamos todos os carros parados no acostamento. Lá fora luzes de alerta piscando e, do lado de dentro, nossos olhos nem sequer piscavam e o rádio não se escutava mais, só a chuva e o vento!

Eu e o Djoni calamos. Era cada um com seus próprios pensamentos e orações, pra que a chuva acalmasse, pra que nada de ruim acontecesse e que a gente chegasse logo em Porto Alegre: tínhamos um Casamento no Civil para fotografar!

Na capital, um final de tarde nublado. Convidados chegando e tudo lindamente se encaminhando para uma noite agradável, com música boa, cheia de amor e inesquecível para os noivos!

Na hora de um mini ensaio, logo após o protocolo do Civil, a Luize e o Wilson nos contavam que eram as primeiras fotos de casal que eles faziam, que eles não tinham ideia se levavam jeito… Talvez eles realmente não faziam ideia, mas quando nós vimos eles simplesmente caminhando de mãos dadas e rindo da situação. Eu e o Djoni nos olhamos: “Essas fotos vão ficar maravilhosas!”

O sol tímido brilhou ao ir embora, deixando um rastro rosa e laranja no céu. Enquanto isso o casal tímido sorria, deixando ali registrado tudo aquilo que buscamos para nossas composições: naturalidade, verdade e sentimento! E por fim, proporcionando a calmaria antes ainda do anoitecer – aquela que sempre chega – após a tempestade!

E nesse dia a história terminou com uma baita festa! E quando falamos em festa, queremos dizer que, sem qualquer timidez, o samba e a alegria rolaram soltos ♡

Deixe uma resposta

Fechar Menu